Foi demitido? Veja o que fazer para retornar ao mercado de trabalho

procurando-emprego

A crise econômica fez com que um grande número de empresas tivesse que demitir uma parcela significativa de funcionários. Pessoas com muitos anos de empresa, em vésperas de se aposentar, especialistas ou recém-contratados. A crise não poupou nenhuma área ou categoria. Mesmo que você não tenha entrado nas estatísticas, é provável que conheça alguém que tenha sido demitido.

Mas, fique tranquilo. Assim como na sua empresa, muitas delas consideraram questões como salário, manutenção de contrato com clientes, demandas de trabalho e projetos. Muitas pessoas altamente qualificadas foram demitidas este ano. Caso você tenha sido demitido, não passe a acreditar que está desqualificado ou que não possui a competência que o mercado procura.

Este é um ótimo momento para poder avaliar os rumos da sua carreira. Aquele projeto de mudança que não parecia coerente há meses, agora pode ser uma alternativa bem interessante. Defina suas metas e objetivos profissionais para os próximos 5 e 10 anos. Avalie qual é o emprego que te coloca diante dos seus objetivos. É nele que você deve focar. Busque vagas nesta área e se dedique a desenvolver seu perfil.

Para quem pensa em concurso público vale lembrar que o tempo de estudo pode variar de meses a anos, dependendo do curso desejado e do número de concorrentes. É preciso dedicação e disciplina para estudar e um projeto de suporte financeiro para poder manter a estrutura da casa e da família funcionando minimamente bem nesse período.

Busque uma atualização. Com poucas vagas e muitos profissionais disponíveis, você pode e deve trabalhar os seus diferenciais. Mas lembre de que só o desempenho técnico não será suficiente, é preciso trabalhar suas questões comportamentais para conseguir uma vaga que te agrade e te agregue. Veja o que o mercado está buscando e qual a sua defasagem. Desenvolva seus conhecimentos e habilidades para ter melhores chances de recolocação.

Muitas pessoas foram demitidas e outras tantas continuam empregadas ou possuem bons contatos profissionais. Acionar sua rede de contatos também pode ajudar a saber quais são as empresas que estão contratando. Muitas empresas aceitam indicação de profissionais e aproveitar os contatos pode te ajudar a acelerar a recolocação ou, ao menos, perceber o perfil de trabalhador que as empresas estão buscando.

Não perca tempo e encaminhe logo seu currículo para avaliação. Lembre de que você não está em férias. Por mais tentador que pareça pegar o dinheiro da rescisão e curtir uma folga com a família, é melhor arregaçar as mangas e buscar um trabalho o quanto antes. Afinal, você não sabe o tempo que vai demorar a encontrar uma vaga na sua área e o dinheiro pode não durar como você imagina. Depois de conseguir uma vaga, em um ano você poderá tirar suas férias, relaxando de verdade, com a garantia de um emprego para retornar após o merecido descanso.

Para muitas carreiras a recolocação é mesmo um processo delicado. Algumas áreas são tão restritas que, mesmo numa cidade grande, as vagas oferecidas são poucas. E, se o seu caso for esse, avalie as possibilidades de mudar de área ou mesmo de empreender. Para isso, é necessário um ótimo planejamento. Colocar todas as possibilidades e riscos num papel e refletir muito sobre sua proposta de negócio, para que ele seja um sucesso.

Em quaisquer dessas situações, aprenda a controlar a ansiedade no momento das buscas e das entrevistas. Por mais difícil que esteja o cenário e o momento econômico, é possível que muitas pessoas consigam se recolocar em breve. Quanto mais equilibrado você estiver, melhor será para escolher os rumos da carreira e demonstrar para a empresa suas competências e o quanto você vai agregar. Trabalhe seu perfil e fique atento às ofertas de vagas. Enquanto a oportunidade não aparece, defina rumos para sua carreira e finanças.

 

Simone Steilein Nosima

Psicóloga e Coach

CRP: 08/09475