O natal e o luto

O natal é tempo de paz, alegria e união. Para todo lado que você olha a representação do natal está lá, em propagandas mostrando as famílias felizes, em ações voluntárias demonstrando a fé e o amor ao próximo, em confraternizações promovendo a união entre colegas e amigos. O tão famoso e comentado espírito natalino toma conta das conversas e das relações.

Porém, para algumas famílias o natal passa a ser a representação da dor e da angústia. Em meio a tantas comemorações a lembrança de quem partiu fica mais evidente, e o sofrimento pode ser inevitável. Como consequência pode vir o isolamento, a dificuldade para encarar os eventos sociais, crises de alterações bruscas de humor.

Para aqueles que convivem com uma pessoa enlutada o importante é ter empatia, entender e aceitar a dor do outro. Criar situações que façam ele se envolver em inúmeras atividades não libertará a memória das lembranças do que viveu, nem mesmo amenizará a dor da ausência. O que algumas pessoas enlutadas querem e precisam é de um momento de reflexão e isolamento. Perguntar o que a pessoa deseja como auxílio e a maneira como pretende vivenciar esse momento, sempre oferecendo a presença e o carinho.

Para a pessoa enlutada algumas percepções podem fazer diferença neste momento:

Respeite sua dor. O sofrimento da perda é real e em momentos como os eventos de final de ano realmente a memória fica mais nostálgica. Não se force uma felicidade fantasiosa para agradar os demais. Se necessário se retire por alguns instantes. Seja sincera com seus sentimentos, diga aos outros o que verdadeiramente está sentindo e solicite ajuda se necessário.

Você não é obrigado a comemorar nada. Mesmo que as pessoas próximas se reúnam se você não quiser comemorar está tudo bem. Reflita e defina sobre o que está disposto e avise os demais. Não se force além dos seus limites, mas entenda que ficar sozinho neste momento pode ser ainda mais doloroso, busque estar perto de quem ama e consegue entender e respeitar sua dor.

Você pode e voltará a ser feliz. A medida que for trabalhando e elaborando o luto ele passa a ter uma outra representação e um outro sentimento. A dor diminui e ficam as boas lembranças, os bons momentos repletos de carinho e amor. E quando você voltar a se sentir feliz no natal não se sinta culpado. O respeito por quem partiu não está marcado pela dor, mas sim pelas lembranças boas e pelo afeto que permanece.

Faça sua homenagem a quem partiu. Respeitando sua crença ou sua religião, considerando a forma como você e a pessoa viviam, tenha um momento para homenagear de uma maneira representativa e que possa acolher seu sentimento e acalentar sua dor. Realmente é muito triste não ter a pessoa perto fisicamente, uma homenagem vai te ajudar a manter as boas memórias, a proximidade emocional e o carinho.

O tempo não cura a dor, ele traz a possibilidade da pessoa se reequilibrar emocionalmente. Então a ideia de que com o passar do tempo o sofrimento será amenizado nem sempre é real. Algumas pessoas têm grande dificuldade em lidar com a perda e acabam sofrendo por longos anos. Cabe aqui um suporte de um profissional, mas é importante que os amigos e familiares estejam atentos ao sofrimento. Perceber e respeitar o que sente é fundamental para passar por esta fase tão dolorosa.

“Você marcou a minha vida, viveu morreu na minha história, chego a ter medo do futuro e da solidão que em minha porta bate” Musica: Gostava tanto de você.

Simone Steilein Nosima

Psicóloga e Coach

CRP: 08/09475