Homens choram sim! E isso não é sinal de fraqueza

Homens choram.

Faz poucos dias que ouvi, de um homem que eu atendo e que sofre em silêncio, como tantos outros, que ele não consegue lidar com as instabilidades da vida e do relacionamento sem sofrer. Ele relata a forma como foi educado, e como deveria ser forte e estável. Mas na verdade sente-se enganado pelos seus sentimentos.

Essa seria uma história qualquer se ela não se repetisse com muita frequência em nossa sociedade. Tenho percebido isso principalmente pela crescente procura destes homens por apoio e acompanhamento profissional. Recebo muitos deles ansiosos, preocupados com seus casamentos, sofrendo por amor e com tantas outras dores emocionais que mal posso descrever aqui. A grande questão talvez seja entender o motivo pelo qual os homens não se permitem sofrer ou demonstrar seus sentimentos.

Acredito que um pouco da base disso está na infância, desde crianças mandamos eles engolirem o choro, dizemos que homens não choram e que eles devem ser fortes. Colocamos eles em aulas de luta, proibimos o uso do rosa e não deixamos eles brincarem de boneca. Aos poucos vamos tolhendo a sensibilidade deles. Mas na verdade fazemos isso sem pensar nas consequências que eles irão enfrentar adiante. Sem imaginar como vai ser quando não conseguirem demonstrar os sentimentos quando eles perderem o emprego, se divorciarem ou perderem um ente querido.

Os sentimentos negativos fazem parte da vida, não há forma de viver sem sofrer. O importante é saber lidar com os sentimentos de uma forma adequada. Quanto mais cedo ele aprender a lidar com o sentimento melhor será. Entender que quando estamos tristes é sim possível chorar, e os homens também podem – e devem – manifestar seus sentimentos. Eles também ficam irritados, estressados, e tem depressão. Mas não há necessidade de passar por isso calado e sozinho.

A sensibilidade e demonstração de sentimentos no homem não demonstram fraqueza, mas sim uma maturidade emocional que possibilita agir de forma empática, tratar as coisas e as pessoas com mais carisma e proximidade. Mesmo com essa sensibilidade eles conseguem ser fortes e defender a família. Aliás, essa leveza traz ainda mais entendimento e possibilidades de relacionamento e demonstrações de afeto dentro do ambiente familiar.

Vale lembrar que este cenário já está mudando. Mas ainda existe um caminho a ser seguido, principalmente nessa fase de transição. Ouvir o que estes homens têm a dizer, permitir que eles sintam e possam compartilhar sobre isso. Não importa a idade, sempre é tempo de melhorar a relação e estreitar os laços. A vida nem sempre é fácil, mas pode ser mais leve quando não é necessário carregar o peso sozinhos.

Simone Steilein Nosima – Psicologia e Coaching – CRP: 08/09475