Desfralde sem mistérios

Cada conquista dos pequenos é uma grande festa e cada fase de desenvolvimento deve ser tratada com sua real importância, reconhecimento e acima de tudo muito amor. Isso vai garantir que ele vivencie e aprenda de uma forma leve e sem traumas.

Para garantir que seu filho tenha um desenvolvimento tranquilo respeite o tempo dele, sem comparações ou cobranças e com muito respeito à sua individualidade. Perceba que os “manuais” de desenvolvimento infantil trazem sempre uma faixa de tempo e idade esperada para cada ciclo de desenvolvimento, essa faixa considera principalmente o desenvolvimento neurológico do bebê. Quando forçamos ele a realizar uma tarefa antecipadamente estamos desrespeitando a sua maturidade neurológica, e aí sim podem acontecer os traumas.

Quando falamos de DESFRALDE a idade mínima indicada é de dois anos. Ou seja, é comum apresentar sinais de desfralde a partir dos dois anos, podendo ser dos dois aos três ou quatro anos. Vai depender do desenvolvimento dele, da capacidade de perceber seu corpo e de controlar seu esfíncter. Portanto, se seu filho já completou 2 anos e ainda não apresenta os sinais de desfralde, não se preocupe, basta observar e respeitar o tempo dele que logo ele chegará lá. Caso ele apresente antes dos dois anos será muito bom, mas desde que isso venha espontaneamente dele.

Para ajudar as mamães a passarem por este momento com mais segurança, separei as perguntas mais frequentes e que podem ter mais impacto no desfralde:

Quando devo iniciar o desfralde?

A partir do momento que ele mostrar sinais de que já está preparado. Considere três passos aqui: No primeiro ele te avisa que ele já fez o xixi – demonstrando que já consegue associar a fralda cheia com o xixi. Na segunda fase ele sinaliza que está fazendo, ainda não teria tempo hábil para levar ele até o banheiro, mas já é possível para ele reconhecer o momento em que está fazendo xixi. No terceiro passo ele te avisa que quer fazer, ou seja, ele sentiu que a bexiga está cheia e que ele ainda tem tempo para segurar um pouco antes de ir ao banheiro. Seja ágil ao levar ele ao banheiro, o tempo de espera deles é pequeno no início do desfralde. O ideal é iniciar o desfralde na fase três ou na dois já bem amadurecida.

Outro sinal que ele dá, de maturidade neurológica, é conseguir pular com os dois pés de uma única vez. A relação está no controle e contração do esfíncter. E pode ser uma boa medida de observação para que você possa sentir segurança no momento de iniciar o desfralde.

Ele não quer sentar no penico ou no vaso, chora muito, o que faço?

Não force. Tudo que é novo realmente incomoda. Para que ele encare o penico ou redutor de vaso com mais tranquilidade deixe a mostra mesmo antes de iniciar o desfralde. Leve ele junto para escolher o que ele gosta mais, deixe ele sentar para avaliar se ele fica confortável. Antes do desfralde será um objeto presente e nada ameaçador, ele pode “brincar” de sentar mesmo com fralda. Escolher o melhor lugar do banheiro para deixar o vaso. Vai se familiarizar com o objeto de forma lenta e gradativa. Se ainda assim ele permanecer muito resistente avalie a troca do penico por redutor, ou vice-versa. Existem vários modelos disponíveis, deixe ele direcionar para qual ele se adapta mais. Usar de linguagem lúdica e momentos descontraídos para levar ele ao banheiro também vai ajudar muito.

 

Já estou alguns dias insistindo e vejo pouca evolução, o que posso fazer?

Fique calma que o processo vai acontecer no tempo dele. Se você prestou atenção aos sinais e já percebeu que ele está pronto para o desfralde, pode ter certeza que quando menos perceber ele já estará usando o penico em todas as vezes. Não existe muito ou pouco tempo, tudo dependerá do tempo de resposta dele. Mas tenha certeza que sua presença e afeto podem ajudar nesta fase. Portanto quando a coisa não sair como espera mantenha a calma e o equilíbrio, ele precisa sentir que você o apoia incondicionalmente.

Tentei fazer o desfralde mas não tive sucesso, como posso fazer para recuar e tentar em outro momento?

Algumas vezes erramos mesmo, isso é normal na maternidade então não se culpe e siga em frente. Recue apenas se for por falta de maturidade dele, e não de falta de paciência sua, perceba que são coisas muito diferentes. Caso tenha que voltar atrás fale com ele e explique o motivo, tenha certeza de que ele entendeu e concorda com sua decisão. No momento em que for retomar o processo explique para ele como agora será mais fácil, pois ele já consegue perceber coisas que ele não conseguia antes, e que você estará sempre ao lado dele para tudo, que vão passar por isso juntos e com muito amor e carinho.

Existe mesmo uma melhor fase (período do ano) para o desfralde?

Para quem vive em região de clima frio sim. No inverno a sensação de bexiga cheia e vontade de fazer xixi mudam e isso pode atrapalhar a percepção dele sobre o controle do próprio corpo. O trabalho tende a ficar mais demorado e pode acontecer um número maior de escapes. Isso sem contar no número de calças e meia calças que eles usam no inverno. Você precisará de um número bem maior de peças de roupas para fazer o desfralde do que se fizer no verão.

O que posso fazer para incentivar ele durante o processo?

Toda criança gosta de sentir que é aceita e amada pelos pais, que está fazendo tudo certo e de ser reconhecida por isso. Nesta fase não é diferente, então o estimulo e o reforço positivo vão ajudar muito. Comemore cada acerto e dê menos atenção para os momentos de erro, sempre incentive ele a continuar tentando. Incentivos concretos como ganhar adesivo quando fizer no penico ajuda muito. Você pode colar uma folha de papel sulfite no banheiro (para que ele não cole os adesivos diretamente no azulejo) e cada vez que ele acertar ele ganha um adesivo para colar na folha. Comemore com ele e mostre como ele tem se dedicado e conseguido acertar, conte o número de adesivos no dia, ele ficará feliz em ver o resultado do seu esforço. Alguns livros podem ajudar – busque por títulos como (Até as princesas fazem cocô – Sara Creese e Gabrielle Mercer / O que tem dentro da sua fralda – Guido Van Genechten / Cocô no trono – Charlat,Benoît) leia com ele e mostre como pode ser legal usar o penico.

Como reagir quando ele faz no chão?

Broncas não são bem-vindas nesse processo. Elas fazem com que ele sinta que não é capaz de corresponder ao que vocês esperam, reforçam o erro e deixam ele com a sensação de derrota. Quando ele tiver uma situação de escape trate com naturalidade e comente que isso pode mesmo acontecer, que na próxima vez que tiver vontade ele pode te avisar antes de fazer. Limpe, troque as roupas e não fale mais nisso, broncas sem fim são ainda mais difíceis de conseguir aceitar.

Como tratar isso com o restante da família?

Caso resolva fazer o desfralde na praia acompanhados de toda a família, tenha certeza de que os demais adultos vão conseguir respeitar seu método sem interferir na orientação dele. Se isso não for possível encontre um outro momento para iniciar o desfralde, e garanta que vocês possam ter privacidade o suficiente para que ele vivencie isso com muito amor por parte de todos que vão acompanhar ele nessa fase de mudança.

Algumas dicas que podem te ajudar:

  • Compre várias peças de roupa (calcinhas e cuequinhas) você não tem como saber o número de peças que ele vai usar durante um dia e é importante que você tenha como acompanhar o desfralde sem ter que se preocupar em lavar e secar várias peças durante o dia.
  • Tente conciliar o período de desfralde com as férias, assim você poderá se dedicar a isso sem ter que interromper o aprendizado dele para sair e se movimentar pela cidade ou em eventos. O número intenso de interrupções pode deixar ele confuso e ter mais dificuldade de entender a dinâmica de todo o processo.
  • Antecipe a vontade: leve ele ao banheiro antes dele pedir, pergunte se ele está com vontade, você pode fazer isso de uma forma leve e sem cobranças, pode dizer que vai ao banheiro para fazer outra coisa, convide ele para ir junto e quando estiverem lá pergunte se ele não quer aproveitar e fazer xixi.

Mesmo sendo uma fase de grande mudança ele vai conseguir passar por ela sem traumas, desde que todos os envolvidos respeitem seu tempo e aceitem as falhas que podem acontecer. Cada criança é única e vai vivenciar esta fase à sua maneira. Muito amor, carinho e doses extras de paciência para que vocês consigam aproveitar a alegria e as conquistas deste momento de tanta superação.

Simone Steilein Nosima – Psicóloga e Coach – CRP: 08/09475