Suicídio: o que você precisa saber para ajudar seu filho

Estar atento ao comportamento, ajduar seu filho a passar pelas dificuldafes, entenda os riscos do suicídio

Recentemente os noticiários divulgaram informações sobre um jogo virtual chamado: O Jogo da Baleia Azul. Trata-se de um jogo no qual as tarefas são repassadas durante a madrugada e a última jogada é tirar a própria vida. Cruel não é mesmo? É automático pensar: “Nossos filhos jamais vão entrar num jogo desses”. Cuidado! Mesmo que você tenha educado seu filho com um grande senso crítico e noção de risco, é possível que ele tenha curiosidade sobre esse jogo ou ao menos conheça alguns amigos que entraram nessa.

Por que os adolescentes ficam tão suscetíveis aos riscos? A adolescência é uma fase de muitos conflitos emocionais, o “meio de tudo”, uma fase de provação e busca por aprovação, o que faz com que muitos tentem se afirmar nas suas rodas de amigos, assumindo riscos para provar que são ousados e descolados. A maturidade emocional, ainda em construção, não aparece de repente e pode vir acompanhada de erros de percepção e atitude.

Tantas mudanças geram dúvidas e podem vir acompanhadas de sofrimento, pode ser dolorido aprender e crescer. Quem está confuso e sofrendo muda o comportamento. Isso acontece porque a pessoa fica atenta aos seus problemas, sem conseguir entender e controlar suas emoções, o que muda seu olhar sobre as coisas e sua forma de se relacionar com as pessoas. Quem sofre tende a sorrir menos, a evitar situações de desconforto, a se colocar de uma forma negativa, pode passar a frequentar lugares diferentes, faltar nas aulas, e manter segredos sobre sua vida.

Quando se têm alguém em quem confiar, o peso pode ser dividido, dando a ele a chance de vivenciar as coisas com mais tranquilidade e equilíbrio. Para poder ajudar seu filho a passar pela adolescência longe dessas armadilhas, você é quem deve estar por perto. Sendo o apoio e a segurança que ele precisa. Além de ficar atento aos sinais e as mudanças de comportamento, é importante que você consiga estabelecer um vínculo sólido e duradouro com ele. Para isso, dê mais ouvidos do que conselhos, mais suporte do que broncas, mais compreensão do que castigo. Quando ele perceber que pode confiar totalmente em você, vai vir até você e assim terá a chance de ajudá-lo a aprender através do cuidado e do amor.

Caso conheça alguém que esteja passando pela adolescência com muito sofrimento, ofereça ajuda. E se você estiver passando por isso ou tem dúvidas a respeito, entre em contato pelo email: atendimento@clinicaevoluti.com.br – estou aqui para te ajudar a superar isso.

Simone Steilein Nosima – Psicóloga CRP: 08/09475