Quem define os rumos da sua carreira?

Sua carreira é uma responsabilidade sua, cuidado para não colocar ela nas mãos da empresa.

Quando você aceitou sua última promoção na empresa, era realmente aquela tarefa que você tinha interesse em desenvolver? Em algum momento você já sentiu que sua carreira estava tomando um rumo diferente do que você tinha imaginado, por orientação da empresa ou de gestores? Avaliar o rumo que sua carreira está tomando e sua força de decisão nisso é necessário para que você consiga se realizar profissionalmente. Algumas vezes, por uma questão de perfil pessoal, de necessidade da empresa ou por uma equivalência entre os dois, a empresa acaba tomando a decisão de sugerir uma mudança de área e de atividades. A primeira reação é pensar em aceitar e ainda ficar grato pelo sugerido, mas é importante que você considere seu interesse nessa vaga.

O que você faz hoje deve te colocar no caminho do que você deseja para sua carreira nos próximos anos. E caso ainda não tenha pensado nisso, não perca tempo e reflita sobre o que deseja profissionalmente nos próximos 10 ou 20 anos. Considere salário, rotina de trabalho e atividades a serem desenvolvidas. Isto te realiza? Isto te interessa? Caso a vaga ofertada não esteja nesse perfil, considere recusar a proposta.

Posso recusar mesmo quando envolver um aumento de salário? Pode, sim! Isso mesmo. O salário vai te realizar por pouco tempo e sua satisfação pessoal e profissional terão um peso maior ao longo dos anos. A sensação de fazer grandes sacrifícios pelo trabalho pode ocasionar ansiedade e estresse. Quando você sente prazer fazendo o que te realiza, o dinheiro passa a ser consequência de um outro nível de satisfação.

Processos como Avaliação de Desempenho e Feedbacks te ajudam a refletir se o que a empresa tem para te oferecer é aquilo que você busca. Conversas francas e baseadas em situações reais colocam você e os gestores em sintonia. Além de avaliar seu desempenho e deixar claro o que você precisa desenvolver para assumir novos cargos, você deve buscar saber quais são as possibilidades para sua carreira nos próximos anos. Caso não estejam de acordo com o que busca, seja sincero em colocar o que pretende e, junto com os gestores, defina possibilidades de chegar lá.

Você é um membro da equipe, mas isso não precisa ser eterno. A zona de conforto é sempre o lugar mais agradável de ficar, mas ocupar uma vaga jamais deve ser sinônimo de acomodação, seja em questões técnicas ou comportamentais. Você deve sempre manter o foco nos seus objetivos e se desenvolver no caminho que pretende conquistar. Caso não consiga isso dentro da empresa que está, seu crescimento pode estar fora dela. Isso ficará evidente se você pensar constantemente nos pontos que são importantes e assumir a responsabilidade pelo seu desempenho, carreira e motivação.

Simone Steilein Nosima – Psicóloga e Coach – CRP: 08/09475